Destaques PGR aciona STF contra altos impostos em Pernambuco

PGR aciona STF contra altos impostos em Pernambuco


O procurador-geral da República, Augusto Aras, ajuizou uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) contra uma lei do Governo de Pernambuco, apontada como ilegal, que teria aumentado excessivamente a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na energia elétrica e nas comunicações. O processo foi enviado na sexta-feira (25) com o pedido de medida cautelar.

No entendimento de Aras, o preço acima do patamar geral vai de encontro ao princípio da seletividade, que prioriza a menor tributação sobre produtos e serviços essenciais.

“A Lei 15.730/2016 do Estado de Pernambuco, com a redação dada pela Lei 16.489/2018, ao instituir alíquotas incidentes sobre energia elétrica e serviços de comunicação em patamar elevado, acima da alíquota geral fixada pela unidade federada, ofende o princípio da seletividade, inscrito no art. 155, § 2º, III, da CF”, pontuou no documento.

Uma ação semelhante já havia sido protocolada contra o Rio de Janeiro no último dia 15. A relatoria do processo de Pernambuco ficou para o ministro Gilmar Mendes, mas Aras recomendou que fosse enviada para o ministro Roberto Barroso, que recebeu a denúncia do Rio.

“A energia elétrica, que no início do século passado era considerada artigo de luxo reservado somente às famílias abastadas, é hoje indispensável em qualquer residência como item mínimo de subsistência e conforto. Pode-se dizer o mesmo sobre a internet e os demais serviços de comunicação”, destacou o PGR.

Críticas do Governo de Pernambuco

Em nota, o Governo de Pernambuco definiu a atuação de Aras como desnecessária, já que a alteração das alíquotas só vai ocorrer em 2024, como acordado.

“O Supremo Tribunal Federal já se manifestou a respeito da tributação das telecomunicações e energia elétrica, no último mês de dezembro. Qualquer alteração nas atuais alíquotas estaduais só ocorrerão a partir de 2024, com os novos planos plurianuais dos entes federativos. As 25 ações ajuizadas pela Procuradoria-Geral da República contra os Estados e o Distrito Federal são, portanto, com o devido respeito, inócuas e desnecessárias, gerando apenas falsas expectativas sobre assunto já superado na maior instância do Judiciário Nacional”, rebateu no comunicado.

Fonte: Leia Já

Bruno Muniz 29 mar 2022 - 15:39m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe
Farma Fácil (Grande)
Bahia Ferragens (Grande)
Iran Bikes (Grande)
Athom (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
Dra. Patrícia Queiroz (Grande)
Pernambuco Proteção Veicular (Grande)
Ana Laura Personalizados (Grande)
JCL (Grande)

Dr. Leonardo Brito (Grande)
Dra. Patrícia Queiroz (Grande)
Valloriza (Grande)
Dr. Napoleão Bezerra (Grande)
Mandacaru Açaíteria (Grande)
Lis Bambini (Grande)
Ana Laura Personalizados (Grande)
Kits Elásticos (Grande)
Postos Badú (Grande)
Unicesumar EAD (Grande)