Cotidiano Sustentabilidade ─ Fábrica de jeans no Nordeste consegue produzir peças gastando 90% menos água

Sustentabilidade ─ Fábrica de jeans no Nordeste consegue produzir peças gastando 90% menos água


A Riachuelo, dentro da plataforma de sustentabilidade Moda Que Transforma, conseguiu reduzir em até 90% o consumo de água na produção de jeans. A marca, que tem o maior parque fabril da América Latina considerando suas fábricas em Natal e Fortaleza, se tornou 100% mais sustentável, com utilização de energia 100% renovável, menor consumo de água e químicos nos processos de fabricação do jeans, além do uso de algodão e fibras têxteis mais sustentáveis.

No processo de produção do jeans, que desde 2019 se concentra na fábrica de Guararapes, em Fortaleza, há uma redução de até 90% no consumo da água em relação aos processos convencionais e uma redução de até 85% na utilização de químicos. Uma lavanderia convencional usa em média de 40 a 70 litros de água por peça produzida, a depender do processo de fabricação. Na Guararapes, com as práticas sustentáveis, a fábrica conseguiu atingir uma média de uso de apenas três litros por peça. O objetivo do grupo é reduzir ainda mais, chegando a 100 ml por peça .

“Mais do que nunca, o mercado está atento a uma agenda ambiental e social, e a Riachuelo tem em seu DNA a sustentabilidade e a inovação. O jeans que produzimos em Fortaleza representa o resultado de investimentos importantes em tecnologia, execuções e procedimentos fabris mais limpos e congruentes. É uma vitória expressiva para a indústria do varejo de moda e para nós como empresa brasileira pioneira neste quesito”, afirma Valesca Magalhães, gerente de Sustentabilidade da Riachuelo.

Na produção do jeans da linha Smart da Riachuelo são aplicadas tecnologias como o ozônio, que permite a desengomagem, limpeza e clareamento das peças sem uso de água e químicos; o laser, que dá o toque de customização de estilo e reproduz efeitos manuais de desgaste do jeans, além de eliminar químicos e trabalhos manuais que poderiam ocorrer nessa etapa do processo; e a enzimagem por nebulização, que consiste em um processo biodegradável, que dá um aspecto de peça usada e desgastada e gera amaciamento.

As peças que saem da fábrica – que hoje dedica 25% de sua capacidade à linha Smart – levam uma etiqueta especial para identificar peças mais sustentáveis.

“Para nós, a agenda de sustentabilidade no varejo é urgente. É fundamental que a indústria considere novos formatos de produção para desenvolver peças com menos impacto ambiental e social”, diz Valesca.

Com informações da Revista Exame

Bruno Muniz 19 abr 2021 - 17:00m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Valloriza / Jasfac
Mateus Assistência (Grande)
JCL (Grande)
Total (Grande)
APAE (Grande)
Integra Mais (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
João Januário Tecidos (Grande)
1Farma (Grande)

Auto Planos (Grande)
Sistemax (Grande)
Moda Center (Grande)
Moura & Lima (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
APAE (Grande)
Dra. Patrícia Queiroz (Grande)
Sam’s Sushi (Grande)
Kits Elásticos (Grande)
Altas Horas Outlet (Grande)

REPORTAGEM ESPECIAL

Val Games (Lateral)
Vitta (Lateral)
House Club (Lateral)
Totali (Lateral)
Dra Patrícia Queiroz (Lateral)
1Farma (Lateral)
Mandacaru Açaiteria (Lateral)
Rede Ponto Com (Lateral)
Athom (Lateral)
Mateus Assistência (Lateral)
João Januário Tecidos (Lateral)
Cabeça Gesso (Lateral)
Moda Center (Lateral)
Kits Elásticos (Lateral)
Bahia Ferragens (Lateral)
Altas Horas (Lateral)
RC Tecidos (Lateral)
BestNet (Lateral)
Moura & Lima (Lateral)
Novo Atacarejo (Lateral)
Arrumadinho (Lateral)
M Mestre Empreendimentos (Lateral)
Sam’s Sushi (Lateral)
Sign Digital (Lateral)
Centrus (Lateral)
Luciana Mendes (Lateral)
Immobilis Negócios Imobiliários (Lateral)
Agreg Comunicação (Lateral)
Integra Mais (Lateral)
JCL (Lateral)
Auto Planos (Lateral)
Stylus Óculos (Lateral)
Sistemax (Lateral)
Aplicativo