Destaques Moda Center Santa Cruz anuncia recomendações e planejamento para reabertura

Moda Center Santa Cruz anuncia recomendações e planejamento para reabertura


Guia produzido pelo centro comercial atacadista não define data, mas anuncia mudança nos dias de feira e infraestrutura necessária para retomada das atividades.

A pandemia do novo coronavírus promoveu um grande impacto na indústria confeccionista pernambucana e em vários setores da economia local, nacional e mundial sem precedentes na história recente. A suspensão temporária das atividades no Moda Center Santa Cruz está prevista no Decreto Estadual nº 48.830 de 18/3/2020. Neste período, diversas ações foram realizadas, como a adequação do local para entrega de mercadorias às transportadoras vindas de várias partes do país, o que acontece desde o mês de abril.

“Durante este período de paralisação das atividades, iniciamos a avaliação do que precisa ser adequando em nosso espaço para a retomada do atendimento ao público, por entendermos a necessidade de equilibrar as ações de reabertura do Moda Center e os cuidados com a saúde de nossos colaboradores, condôminos e clientes”, afirma George Pinto, gerente geral do Moda Center Santa Cruz. Algumas adequações de infraestrutura já foram iniciadas, como a instalação de pias para higienização das mãos. O guia descreve as medidas de higiene, limpeza, proteção, organização e novas práticas operacionais que serão adotadas pela administração e comerciantes.

O guia, que pode ser acessado em https://bit.ly/2TI7muA, é dividido em três partes: medidas adotadas pela administração; medidas a serem adoradas pelos comerciantes e ações de comunicação. Entre as principais medidas adotadas pela administração está a mudança nos dias de feira para sexta e sábado.

“Em sondagens com os guias de excursões que vêm ao Moda Center regularmente, detectou-se que esses seriam dias mais adequados, pois o grande atacadista faria suas compras na sexta e o cliente de varejo no sábado. O Moda Center passaria a atender os dois públicos, ampliando o seu fluxo durante o ano todo”, comenta George.

Entre outras ações como:

  • Não haverá restrição de público. Entretanto, recomenda-se que idosos, mulheres grávidas e pessoas com doenças crônicas devem evitar, nesse primeiro momento, a retomada das atividades e a circulação pelo empreendimento;
  • Uso obrigatório de máscaras de proteção por todos (clientes, comerciantes e colaboradores);
  • Instalação, em locais estratégicos, de lavatórios abastecidos de sabão e toalhas de papel para procedimentos de higienização das mãos. Serão 20 pias, sendo 6 nas praças de alimentação e 14 na área externa;
  • Nos locais onde não for possível a lavagem das mãos, será disponibilizado álcool 70% para frequente higienização das mãos;
  • Divisão dos carroceiros e ambulantes por dia de feira com rodízio, por número da jaqueta, conforme determinado pela administração;
  • Atendimento, preferencialmente por trás dos boxes, mantendo um distanciamento mínimo do cliente. Um vendedor por box;
  • Retirada de cadeiras da frente dos boxes, de forma que amplie o espaço de circulação e reduza os pontos de contatos com os clientes;
  • Instalação de marcações no piso em frente aos caixas eletrônicos com o distanciamento exigido pelos órgãos de saúde, que é de 1,5 metro entre uma pessoa e outra nas filas;
  • Manutenção das portas dos WC’s abertas para beneficiar a ventilação;
  • Controle de quantidade de pessoas nos banheiros, respeitando às regras de distanciamento social;
  • Os acessos ao Setor de Atendimento ao Condômino (SAC) e ao Expresso da Moda serão controlados, com um número máximo de pessoas a serem atendidas simultaneamente;
  • Suspensão da comercialização de alimentos no formato self-service. Será permitida a venda de marmitas e lanches;
  • Permissão de uso apenas de talheres, pratos e copos descartáveis na praça de alimentação;
  • Redução de 50% da quantidade de assentos nas mesas das praças de alimentação. Cada mesa permanecerá com apenas dois assentos;
  • Reforço da limpeza de pontos de grande contato, como corrimões, banheiros, maçanetas, mesas, cadeiras, entre outros, além do uso de solução de água com hipoclorito para corredores e áreas comuns.

A administração do Moda Center Santa Cruz também orienta ações para os comerciantes. Confira alguns pontos sugeridos:

  • Implementar um sistema ordenado de comercialização de produtos para evitar a concentração de pessoas;
  • Limpar e desinfetar as superfícies de balcões para a venda de produtos várias vezes ao dia;
  • Manter uma distância mínima segura entre as pessoas e manipular os produtos usando máscaras;
  • Fornecer máscaras aos funcionários, que devem ser usadas inclusive no deslocamento do trabalhador (casa-Moda Center-casa);
  • Disponibilizar álcool em gel para uso dos funcionários e clientes;
  • Se possível, implantar a medição de temperatura de funcionários;
  • Utilização de canais on-line para continuar atendendo clientes que ainda tenham
  • movimentação restringida;
  • Suspensão de ações promocionais e campanhas que promovam a aglomeração de pessoas ou distribuição de material que possa ser vetor de contaminação do novo coronavírus (inclusive panfletos);
  • Se algum trabalhador apresentar sintomas de gripe, febre, tosse, coriza ou dor no corpo, é recomendável que fiquem em casa.

“Todos nós devemos contribuir e continuar tendo consciência do nosso papel para a contenção um novo avanço da Covid-19. É preciso que cada um assuma o compromisso com as ações previstas nesse documento. Juntos, envidaremos esforços para a proteção da saúde das pessoas e recuperação da nossa economia”, completa George.

As medidas previstas podem ser complementadas e/ou alteradas, a qualquer momento se houverem novas orientações dos órgãos competentes.

Jefferson Felipe 27 Maio 2020 - 18:22m

1 Comentário

  • BRUNO RAFAEL MAIA XAVIER disse:

    A medida de abrir o Moda Center é precipitada, estamos a beira do colapso na saúde, e a contaminação cresce assustadoramente.

    A economia estará abalada com ou sem quarentena, mas será muito mais grave abrandar a quarentena, pois além da crise econômica teremos uma comoção social com várias mortes na cidade e região, pois segundo o próprio ministério da saúde o coronavirus esta avançando para o interior!

    Nem a prefeitura, e nem o Moda Center tem condições de garantir a segurança que precisamos para evitar a contaminação, ou seja, não há como fiscalizar se uma multidão está cumprindo ou não as regras de distanciamento social, bem como, se está fazendo o uso adequado de mascaras!

    Defender a abertura do Moda Center é um discurso fácil, mas morrer lentamente sem ar é um pesadelo que quem só pensa em dinheiro não leva em consideração.

    Um empregado que morre pode sempre ser substituído, e talvez por isso muitos defendam a abertura do Moda Center, ainda mais quando se tem como administrar um negócio a distância com um celular na palma da mão, correndo bem menos risco de contaminação. Isto é triste!

    A vida e a saúde valem mais que o dinheiro e o dinheiro não as compram! “Quem tudo quer tudo perde”. Não podemos permitir que sonhos de toda uma vida sejam lacrados de uma forma tão estúpida em um caixão!

    Divida o pão com o pobre e Deus lhe ajudará em sua crise, “nem a farinha, nem o azeite faltaram”! 1 Reis 17:14

Deixe uma resposta


Sollaris Energy (Grande)
Império dos Camarões (Grande)
Clim Center (Grande)
Unicesumar EAD
Dra. Palloma Santana
RC Tecidos (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários

New Corte
Vivo Santa Cruz
Real Tags e Etiquetas (Grande)
Vitta (Grande)
Cold Car
Jasfac (Grande)
Lis Bambini
Larissa Marques (Tô na Fono)
Brisanet (Grande)
Best Net
error: Content is protected !!