Destaques Com 182 mil mortos no Brasil, Pazuello questiona sobre vacinas: “Pra que essa ansiedade?”

Com 182 mil mortos no Brasil, Pazuello questiona sobre vacinas: “Pra que essa ansiedade?”


O ministro da saúde, Eduardo Pazuello, questionou sobre as pressões a cerca do processo de desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19, o que chamou de “angústia” e “ansiedade”. A declaração foi dada durante o seu discurso na apresentação do Plano Nacional de Imunização contra a doença, realizada nesta quarta-feira (16), com a presença de governadores e do presidente Jair Bolsonaro.

Enquanto países como Estados Unidos e Reino Unido já estão vacinando grupos prioritários, o governo brasileiro avalia questões como a origem da vacina e se ela será obrigatória ou não. Detalhes logísticos ainda não foram esclarecidos, mas o ministério afirmou que avalia começar a campanha no final de fevereiro. O desenvolvimento do imunizante e seu protagonismo também agravou as tensões entre o presidente Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

“Somos os maiores fabricantes de vacinas da América Latina. Pra que essa ansiedade, essa angústia. Somos referência e estamos trabalhando”, declarou Pazuello.

Segundo o ministro, o governo federal não fez nada de errado até agora no combate à pandemia e, especificamente, no plano de vacinação.

“Não vejo, e coloco aqui um pouco da minha história, não vejo nada errado. Se tivesse visto teria corrigido. Estamos no caminho certo e juntos, não podemos abrir mão de tratar como país”.

Eduardo Pazuello, ministro da saúde

Plano de Imunização

O novo plano de imunização do governo federal traz a inclusão de novos grupos prioritários e a vacina Coronavac, produzida pelo instituto Butantan.

Segundo plano, são grupos prioritários para receberem a vacina:

– Trabalhadores da área de saúde;Funcionários do sistema prisional;
– Idosos;Comunidades tradicionais ribeirinhas;
– Indígenas;Quilombolas;
– Pessoas com cormobidades;Trabalhadores do transporte coletivo;
– Professores;Pessoas em situação de rua;
– Profissionais de segunraça e salvamentoPresos;

Segundo o governo, 49,6 milhões de pessoas serão vacinadas nas três primeiras etapas do plano. Ainda de acordo com o governo, a vacinação no Brasil deve ser concluída em 16 meses – quatro meses para vacinar todos os grupos prioritários e, em seguida, 12 meses para imunizar a “população em geral”.

Marcelo Melo Ramos 16 dez 2020 - 15:36m

0 Comentários

Deixe uma resposta


JCL (Grande)
Clim Center (Grande)
RC Tecidos (Grande)
Instituto Olavo Bilac (Grande)
Cetias (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários
Farma Fácil (Grande)
Império dos Camarões (Grande)
Bezerra Poços (Grande)

Design Riscos (Grande)
Vitta (Grande)
JCL (Grande)
Best Net
Polo da Moda Campina (Grande)
Alan Vidros (Grande)
Lis Bambini
Simone Joias (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Real Tags e Etiquetas (Grande)

VÍDEO EM DESTAQUE

Design Riscos (Lateral)
Immobilis (Lateral)
Alan Vidros (Lateral)
HB Joias e Relógios (Lateral)
RC Tecidos (Lateral)
Dr. Leonardo Brito (Lateral)
Clínica Vitta (Lateral)
Tintas Quimilson (Lateral)
Polo da Moda de Campina Grande (Lateral)
Simone Joias (Lateral)
Clim Center (Lateral)
Val Games (Lateral)
Lis Bambini (Lateral)
BestNet (Lateral)
Unicesumar Santa Cruz (Lateral)
VRC College (Lateral)
JCL (Lateral)
Instituto Olavo Bilac (Lateral)
Autoescola Nossa Senhora das Graças (Lateral)
Escolinha Geração XXI (Lateral)
Real Tags e Etiquetas (Lateral)
House Club (Lateral)
Moda Center (Lateral)
Sign Digital (Lateral)
Academia Saúde e Forma (Lateral)
Império dos Camarões
Aplicativo