Destaques PF mira suspeitos de comércio ilegal de armas em Pernambuco; esquema envolvia CACs e clubes de tiros

PF mira suspeitos de comércio ilegal de armas em Pernambuco; esquema envolvia CACs e clubes de tiros


Uma organização criminosa suspeita de comércio e porte ilegais de armas de fogo é alvo da Operação Zona Cinza, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em Pernambuco, nesta sexta-feira (21).

De acordo com as primeiras informações divulgadas pela PF, o inquérito policial investiga um clube de tiro e uma loja de armas vinculados ao mesmo grupo, que estaria ministrando cursos, prestando serviços de conserto, manutenção e customização de armas de fogo.

Esses serviços, acrescenta a PF, eram feitos por pessoas sem licença para atuarem como Caçadores, Atiradores e Colecionadores (CAC). Os suspeitos produziam documentos ideologicamente falsos, em nome de armeiros que de fato eram credenciados de forma legal.

“Foi identificada a existência de organização criminosa dedicada à produção de documentos ideologicamente falsos e o uso desses documentos para viabilizar e dar aparência de legalidade tanto ao comércio, quanto ao porte ilegais de armas de fogo”, informou a PF, em comunicado.

Nesta sexta-feira, são cumpridos quatro mandados de prisão preventiva, 37 mandados de busca e apreensão, 11 ordens de suspensão das atividades de natureza econômica de pessoas jurídicas, sequestro de bens adquiridos desde 2019 e bloqueio de valores. A PF, no entanto, não divulgou as cidades onde os mandados são cumpridos, os nomes dos envolvidos e nem os valores sequestrados.

Além disso, a PF de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, também determinou o bloqueio de 14 páginas, perfis e canais de internet que disseminavam conteúdo ilegal. Os mandados, emitidos após representação da Polícia Federal e manifestação favorável do Ministério Público Federal (MPF), são cumpridos em cidades de Pernambuco, Alagoas e São Paulo.

O grupo também usava pessoas jurídicas como instrumentos para produzir entrevistas, vídeos e outros conteúdos para difundir publicidades ilegais para a venda, de forma a estimular o uso indiscriminado de armas de fogo e incitando a prática de crimes. Essas pessoas se diziam caçadores, colecionadores ou atiradores desportivos.

“Nesta etapa, busca-se identificar outros envolvidos e confirmar o modus operandi do grupo investigado”, diz outro trecho de comunicado da PF.

Os investigados também responderão pelos crimes de pertencimento à organização criminosa de modelo empresarial, uso de documento falso perante à Polícia Federal e o Exército Brasileiro, além de incitação ao crime. Os envolvidos podem pegar penas de até 30 anos de reclusão.

Bruno Muniz 21 out 2022 - 22:06m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Integra Mais (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
Mateus Assistência (Grande)
João Januário Tecidos (Grande)
APAE (Grande)
1Farma (Grande)
Valloriza / Jasfac
JCL (Grande)
Total (Grande)

Moura & Lima (Grande)
Kits Elásticos (Grande)
Sam’s Sushi (Grande)
Moda Center (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
Sistemax (Grande)
Auto Planos (Grande)
APAE (Grande)
Altas Horas Outlet (Grande)
Cabeça Gesso (Grande)

REPORTAGEM ESPECIAL

Sistemax (Lateral)
Mandacaru Açaiteria (Lateral)
Altas Horas (Lateral)
Moda Center (Lateral)
Centrus (Lateral)
Integra Mais (Lateral)
Totali (Lateral)
Val Games (Lateral)
Arrumadinho (Lateral)
Auto Planos (Lateral)
Dra Patrícia Queiroz (Lateral)
Mateus Assistência (Lateral)
M Mestre Empreendimentos (Lateral)
Sign Digital (Lateral)
RC Tecidos (Lateral)
Immobilis Negócios Imobiliários (Lateral)
João Januário Tecidos (Lateral)
Cabeça Gesso (Lateral)
Luciana Mendes (Lateral)
Kits Elásticos (Lateral)
Agreg Comunicação (Lateral)
Stylus Óculos (Lateral)
Athom (Lateral)
Sam’s Sushi (Lateral)
BestNet (Lateral)
Rede Ponto Com (Lateral)
Novo Atacarejo (Lateral)
JCL (Lateral)
House Club (Lateral)
Moura & Lima (Lateral)
Bahia Ferragens (Lateral)
1Farma (Lateral)
Vitta (Lateral)
Aplicativo