Política Pernambuco: Deputado João Paulo diz que Bolsonaro irá atentar contra democracia caso perca as eleições

Pernambuco: Deputado João Paulo diz que Bolsonaro irá atentar contra democracia caso perca as eleições


O deputado João Paulo (PCdoB) repercutiu, na Reunião Plenária de quarta (27), a decisão do presidente Jair Bolsonaro de conceder um indulto ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado à prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por ameaçar ministros da Corte. O comunista apontou risco à democracia por considerar a medida um “ataque” ao Judiciário, além de criticar posições do Governo e o envolvimento de militares na estrutura do Executivo.

Para ele, o indulto presidencial foi “mais uma tentativa de calar vozes contrárias ao Governo ou a aliados”. “Tratou-se de um pretexto para criar arruaça e confusão, com o objetivo de melar as eleições de outubro, as quais o atual mandatário do País tem poucas chances de vencer democraticamente”, observou o parlamentar, alegando que o presidente “quer renovar o mandato no grito”.

De acordo com João Paulo, todos os elementos do fascismo estão sendo “gestados e alimentados” por Bolsonaro. “Ninguém que coloca 7 mil militares no Estado vai sair de bom grado se perder as eleições. O pensamento autoritário dele está em cada gesto, fala ou escolha política”, alertou.

O deputado ainda citou como exemplos a “insensibilidade com as mortes da pandemia” e o incentivo à contaminação pelo coronavírus, conforme a tese da “imunidade de rebanho”. “Além disso, o presidente defende a eliminação dos adversários políticos, vistos como inimigos. A concepção de poder dele é a de um líder acima do bem e do mal.”

O comunista relacionou atitudes recentes à proximidade do pleito eleitoral de 2022. “Com a máquina do Estado à disposição, a ousadia de não acatar decisões da Suprema Corte, o armamento desenfreado de aliados e a enxurrada de fake news, o Governo Bolsonaro segue como uma ameaça diária aos brasileiros e uma fonte de tensão que assusta o País e o mundo”, prosseguiu.

João Paulo pontuou as graves consequências que uma ruptura institucional por não aceitação da derrota nas eleições pode trazer para o Brasil, convocando a população a participar das manifestações em defesa da democracia agendadas para o dia 1º de maio (domingo). “Será uma resposta ao comportamento ameaçador e à falta de juízo dos que comandam o País. Se não defendermos nossa liberdade agora, corremos o risco de ver o estabelecimento da força bruta como forma de governo”, completou.

Em apartes, os deputados Doriel Barros (PT) e Coronel Alberto Feitosa (PL) posicionaram-se sobre o tema. “Este ano, há dois projetos na disputa presidencial: um democrático, encabeçado por Lula, e o outro concentrador e contrário aos poderes constituídos. Defendo o primeiro”, enfatizou o petista. “A decisão do indulto é acertada e nós, como parlamentares, deveríamos agradecer ao presidente. Silveira foi preso por uma postagem na internet, mas ele tem imunidade. Além disso, o STF não pode ser, ao mesmo tempo, vítima e juiz nesse processo”, contrapôs Feitosa.

Bruno Muniz 28 abr 2022 - 19:13m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Instituto Olavo Bilac (Grande)
Dr. Napoleão Bezerra (Grande)
Ana Laura Personalizados (Grande)
Gelar Climatização (Grande)
Oficina dos Óculos (Grande)
Pernambuco Proteção Veicular (Grande)
ASCAP (Grande)
Amanda Barros (Grande)
Mandacaru Açaíteria (Grande)
Dra. Patrícia Queiroz (Grande)

Kits Elásticos (Grande)
Chiquinho Sorvetes (Grande)
Dra. Patrícia Queiroz (Grande)
Best Net (Grande)
Gedália Silva (Grande)
Bahia Ferragens (Grande)
RC Tecidos (Grande)
Mandacaru Açaíteria (Grande)
Postos Badú (Grande)
Sistemax (Grande)