Política Vereadora do Recife acusa presidente do PP-PE de violência política e pede para sair do partido sem perder o mandato

Vereadora do Recife acusa presidente do PP-PE de violência política e pede para sair do partido sem perder o mandato


Nesta segunda-feira, 21, na Câmara Municipal do Recife, a vereadora Andreza Romero voltou a afirmar que tem sofrido perseguição política do presidente estadual do Partido Progressistas, Eduardo da Fonte. Em um discurso forte, a parlamentar acusou o deputado federal de “se vingar” do ex-aliado, Romero Albuquerque, seu esposo, através de retaliações e ameaças a ela. De acordo com a vereadora, desde 2020, o líder do PP em Pernambuco age para prejudicá-la.

Andreza disse que a relação entre Romero e Da Fonte sempre foi cheia de altos e baixos e que, nos momentos mais difíceis, Eduardo da Fonte sempre teria concentrado esforços em prejudicar a sua candidatura a vereadora e, agora, à Câmara Federal.

“Isso não tem outro nome: é machismo”, disparou.

Diferente do que o presidente estadual do PP afirma, Andreza diz que a ordem para sua saída já teria sido dada nos bastidores e contou que teme retaliações maiores, citando outra confusão envolvendo Eduardo da Fonte, em 2018. Brigado com o deputado Fernando Monteiro, Dudu teria dado aval para a sigla registrar a candidatura do correligionário com o número 1171.

O caso parou na justiça eleitoral.


“A legislação sobre representação feminina é muito clara. De acordo com a lei, estão proibidas discriminação e a desigualdade de tratamento por gênero. Nunca tive apoio do partido, por qual motivo? Fiquei no meio da briga entre dois homens. Por isto, nunca fui acolhida, quase não tive legenda e não tive recursos nem apoio algum do partido nas eleições de 2020”, a vereadora denunciou.

“Não foi por falta de dinheiro. Foi desmerecimento e humilhação, por vingança”, completou.

Andreza concluiu dizendo que, além dela e do deputado Fernando Monteiro, o prefeito João Campos também seria um desafeto de Eduardo da Fonte. Velhos aliados na Frente Popular, o PP teria orientado os correligionários a não apoiar o então candidato do PSB no segundo turno das últimas eleições municipais.

Bruno Muniz 22 mar 2022 - 21:02m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Mateus Assistência (Grande)
Oficina dos Óculos (Grande)
Mandacaru Açaíteria (Grande)
Bahia Ferragens (Grande)
JCL (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários (Grande)
Instituto Olavo Bilac (Grande)
ASCAP (Grande)
Quero Sandálias (Grande)
Dr. Napoleão Bezerra (Grande)

RC Tecidos (Grande)
Instituto Olavo Bilac (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
Sistemax (Grande)
Postos Badú (Grande)
Pernambuco Proteção Veicular (Grande)
Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe
Valloriza (Grande)
Lis Bambini (Grande)
Chiquinho Sorvetes (Grande)