Cotidiano Tribunal investiga suspeita de superfaturamento em kit intubação no Recife, Pernambuco

Tribunal investiga suspeita de superfaturamento em kit intubação no Recife, Pernambuco


A soma dos produtos estocados e sem uso na Secretaria Municipal de Saúde da capital de Pernambuco é de R$ 17 milhões.

A Prefeitura do Recife é investigada por suspeita de ter comprado em 2020 material hospitalar com dispensa de licitação, indícios de sobrepreço e que poderiam atender demanda de até 723 anos, segundo projeção com base no consumo médio do ano passado. O processo de compra durante o primeiro ano de pandemia está sendo investigado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE). A soma dos produtos estocados e sem uso nos almoxarifados da Secretaria Municipal de Saúde é de R$ 17 milhões. 

A atual administração, comandada pelo prefeito João Campos (PSB), informou que as contratações e compras feitas em caráter de emergência por conta da pandemia foram realizadas dentro da legalidade e que toda a documentação exigida por lei foi entregue pelos fornecedores. Segundo a prefeitura, os preços na época da compra estavam de acordo com os praticados no mercado e que os materiais estão sendo usados.

O ex-secretário de Saúde de Recife, Jailson Correia, disse que seguiu trâmites legais na compra dos equipamentos e que presta todos os esclarecimentos solicitados pelo Tribunal de Contas do Estado.

Os relatórios do TCE-PE detalham que as aquisições feitas entre março e abril de 2020. Os documentos mostram que a pasta municipal pagou valores acima da média em diversos itens médicos, entre eles: seringas, luvas cirúrgicas e insumos que fazem parte do “kit intubação”. Segundo uma apuração prévia da corte de contas, os valores estariam superfaturados em mais de R$ 10 milhões.

Uma denúncia motivou a investigação do Ministério Público de Contas. “A denúncia mencionava alguns itens cujo estoque comprado para a pandemia poderia abastecer por anos e anos a rede de saúde de Recife. Os auditores estiveram no estoque da Secretaria de Saúde de Recife constataram, sim, que alguns itens foram adquiridos em grandes quantidades”, explica o procurador Cristiano Pimentel.

No documento, também é apontado que a secretaria não teria seguido abordagem mais adequada para a dispensa de licitação, que seria adquirir itens para necessidades de curto prazo e, que a compra, da forma como ocorreu, resultou em estoque excessivo. 

Para Walter Cintra, médico sanitarista e professor de Gestão e Saúde da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o caso apresentado pela reportagem apresenta indícios de exagero nas compras emergenciais mesmo em um momento de pandemia. 

“Toda a gestão de materiais, ela funciona para você trabalhar pra não faltar material, mas também para você manter um estoque o menor possível, esse estoque entre um processo de compra e outro, mas o estoque de segurança ele deve ser o menor possível porque estoque parado é dinheiro parado”, disse.

Empresas que teriam sido criadas somente para atender a demanda da Prefeitura também são alvo da investigação. A Saúde Brasil Comércio de Materiais Médicos, que foi fornecedora da Prefeitura nas compras emergenciais, tinha dois funcionários registrados à época do processo e capital social incompatível com o serviço oferecido. 

Além disso, o relatório também apontou que, desde o ano de 2017, todos os contratos firmados entre Secretaria de Saúde do Recife e a empresa Saúde Brasil teriam como base a dispensa de licitação. A CNN procurou a empresa em dois endereços, mas ninguém foi localizado para comentar. Por e-mail, a empresa informou que não foi criada para atender a prefeitura, que a maior parte dos funcionários é terceirizada e negou o superfaturamento.

Kit intubação

Os tubos endotraqueais, usado em pacientes que precisam de ventilação artificial, foram comprados nos processos de dispensa de licitação 74/2020 e 95/2020 com valores 175% superiores ao preço de mercado.

Com base em respostas de pedidos feitos pela Lei de Acesso à Informação, a reportagem verificou os estoques de insumos médicos que a Secretaria de Saúde do Recife tinha até o início do mês de março de 2021 e também uma média de consumo desse item no ano de 2020. As projeções apontam que seriam necessários mais cinquenta e nove anos para os tubos comprados de forma emergencial acabarem.

A cânula de traqueostomia é usada quando o paciente já está há algum tempo intubado, como explica Fernando Tallo, diretor da Associação Médica Brasileira: “depois de algum tempo com o paciente intubado é necessário a retirada do tubo e a colocação de um outro meio do paciente ao ventilador”. 

O uso desse item é mais restrito do que o uso do tubo endotraqueal, de forma que a compra com sobrepreço, feita sob o processo de dispensa de licitação n° 123/2020, gerou um estoque excessivo de dezessete mil unidades. Essa quantidade que estava guardada, pelo menos até março deste ano, poderia ser utilizada sem a necessidade de reposição por mais cinco anos, levando em consideração o consumo médio em 2020. 

O conjunto de drenagem torácica, ainda mais restrito nos procedimentos que envolvem o aparelho respiratório, também foi adquirido no processo de dispensa de licitação n°  123/2020. Os indícios de superfaturamento para esse item alcançam 96% e os estoques são desproporcionais, levando em consideração a média de uso no ano de 2020. As 39 mil unidades em estoque poderiam atender as demandas da prefeitura recifense por 723 anos. 

O Tribunal de Contas de Pernambuco não prevê prazo para o julgamento do caso.

Bruno Muniz 22 maio 2021 - 12:33m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Cetias (Grande)
Mais Top Estética (Grande)
Athom (Grande)
Academia Republic (Grande)
Instituto Olavo Bilac (Grande)
JCL (Grande)
Parque das Feiras (Grande)
Pernambuco Proteção Veicular (Grande)
Mateus Assistência (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários

Novo Atacarejo (Grande)
Vitta (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Instituto Olavo Bilac (Grande)
RC Tecidos (Grande)
BR Polo Shopping (Grande)
Ana Laura Personalizados (Grande)
Jasfac (Grande)
Bahia Ferragens (Grande)
Iran Bikes (Grande)

VÍDEO EM DESTAQUE

BestNet (Lateral)
Instituto Olavo Bilac (Lateral)
Loucas Por Esmaltes (Lateral)
House Club (Lateral)
Pernambuco Proteção Veicular (Lateral)
Ana Laura Personalizados (Lateral)
Dr. Leonardo Brito (Lateral)
Design Riscos (Lateral)
Gelar (Lateral)
Val Games (Lateral)
Império dos Camarões (Lateral)
Immobilis (Lateral)
João Januário Tecidos (Lateral)
Donna K Depil (Lateral)
Academia Republic (Lateral)
Richard Martyns (Lateral)
Clim Center (Lateral)
Unicesumar Santa Cruz (Lateral)
Bahia Ferragens (Lateral)
Real Tags e Etiquetas (Lateral)
Novo Atacarejo (Lateral)
Oficina dos Óculos (Lateral)
Academia Saúde e Forma (Lateral)
Mais Top Estética (Lateral)
Chiquinho Sorvetes (Lateral)
Moda Center (Lateral)
Sistemax (Lateral)
Mateus Assistência (Lateral)
Amanda Barros (Lateral)
Escolinha Geração XXI (Lateral)
JCL (Lateral)
Athom (Lateral)
Lis Bambini (Lateral)
Autoescola Nossa Senhora das Graças (Lateral)
BR Polo Shopping (Lateral)
RC Tecidos (Lateral)
Sign Digital (Lateral)
Iran Bikes (Lateral)
Agreg Comunicação (Lateral)
Clínica Vitta (Lateral)
Compax (Lateral)
Arrumadinho (Lateral)
Aplicativo