Cotidiano Moradores do bairro São Miguel relatam constante aparecimento de escorpiões nas residências

Moradores do bairro São Miguel relatam constante aparecimento de escorpiões nas residências


Outros pontos da cidade também são alvos de registros frequentes da espécies peçonhenta.

Os escorpiões cada vez mais são registrados em diversos bairros do município de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste. Porém, apesar de muitos bairros contarem com reclamações, o São Miguel em específico sempre está na lista do bairro mais afetado pela espécie que pode causar sérios danos à saúde de suas vítimas.

Em mais um registro, um leitor do Blog do Bruno Muniz enviou os capturados de apenas um dia em sua residência. Na ocasião o morador afirmou que os animais estão aparecendo cada vez com mais frequência e oferecem risco aos habitantes do imóvel, não importa o que seja feito para coibir a sua presença.

Alimentação

São carnívoros e predam insetos e aranhas, principalmente, mas podem predar animais maiores, até mesmo pequenos vertebrados. Por ter a visão pouco eficiente, esse animal desenvolveu ao longo da evolução cerdas sensoriais que ajudam na identificação dos movimentos e vibrações a sua volta. Além disso, pode detectar quimicamente a presença de outros animais. Pode passar meses em jejum, a digestão é quase externa, uma vez que depositam enzimas digestivas na presa, depois corta os pedaços, mas não ingere nada sólido, apenas a parte líquida. O canibalismo é comum para estes animais.

No Brasil, as duas espécies mais comuns em acidente são o escorpião amarelo (Tityus serrulatus, presente nesta imagem) e escorpião preto (Tityus bahiensis). A picada de um escorpião causa muita dor local, febre, sudorese, dispneia e pode levar a óbito, principalmente crianças e idosos. Em caso de picada, lavar com água e sabão, manter a região em repouso e procurar um posto de saúde com urgência, para que receba o soro que neutralizará a toxina. Dependendo da quantidade de veneno inoculada, o caso se torna mais grave. Nunca faça torniquete no local onde houver picada de um animal.

Moradores que já foram atacados pelos animais em Santa Cruz do Capibaribe relatam que o aparecimento da espécie está diretamente atrelado à presente de lixo em terrenos baldios e outras áreas públicas.

Bruno Muniz 24 jan 2021 - 17:04m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Cetias (Grande)
Clim Center (Grande)
Gelar (Grande)
Frota Custon (Grande)
RC Tecidos (Grande)
JCL (Grande)
Instituto Olavo Bilac (Grande)
Studio93 (Grande)
Império dos Camarões (Grande)
CNA (Grande)

Simone Joias (Grande)
Studio93 (Grande)
Arrumadinho (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Ana Laura Personalizados (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
Richard Martyns (Lateral)
Coroa Imports (Grande)
Unicesumar EAD (Grande)
Santa Cruz Cap (Grande)

VÍDEO EM DESTAQUE

Real Tags e Etiquetas (Lateral)
Academia Saúde e Forma (Lateral)
Unicesumar Santa Cruz (Lateral)
Val Games (Lateral)
Moda Center (Lateral)
Bruno Assistência (Lateral)
Acqua Pet Capibaribe (Lateral)
Design Riscos (Lateral)
CNA Santa Cruz (Lateral)
Immobilis (Lateral)
BestNet (Lateral)
Lis Bambini (Lateral)
Império dos Camarões
Clim Center (Lateral)
Escolinha Geração XXI (Lateral)
Studio 93 (Lateral)
Agreg Comunicação (Lateral)
JCL (Lateral)
Richard Martyns (Lateral)
House Club (Lateral)
RC Tecidos (Lateral)
Instituto Olavo Bilac (Lateral)
Autoescola Nossa Senhora das Graças (Lateral)
Sign Digital (Lateral)
Gelar (Grande)
Santa Cruz Cap (Lateral)
Dr. Leonardo Brito (Lateral)
Clínica Vitta (Lateral)
Ana Laura Personalizados (Lateral)
Simone Joias (Lateral)
Coroa Imports (Lateral)
Aplicativo