Esporte Morre aos 60 anos Diego Maradona, ícone maior do futebol argentino

Morre aos 60 anos Diego Maradona, ícone maior do futebol argentino


O ex-jogador Diego Maradona, maior jogador argentino de todos os tempos e um dos maiores do mundo, morreu nesta quarta-feira (25).  Ele sofreu uma parada cardiorrespiratória. Maradona passou por uma cirurgia no cérebro no começo do mês. 

Maior jogador argentino da história, venceu a Copa de 1986 com a seleção argentina, quando protagonizou lances históricos como o gol da “mão de Deus”, contra a Inglaterra. Conhecido também pelo vício em drogas, contra o qual lutou a maior parte da vida e lhe rendeu problemas de saúde, é um dos maiores ícones da cultura argentina.

No Brasil, a rivalidade com Pelé, que renderia intermináveis discussões sobre quem seria o melhor, tornou-se tema de qualquer conversa sobre futebol.

Maradona, no entanto, sempre dizia que sua primeira inspiração no esporte era justamente um brasileiro:  Roberto Rivellino, ídolo do Corinthians e do Fluminense. 

Atualmente, Diego era treinador do Gimnasia La Plata, da Série A argentina, depois de ter treinado equipes no México e no mundo árabe, além da seleção argentina na Copa de 2010. 

O início na Argentina

Nos clubes, fez história no Boca Juniors e no Napoli, onde foi campeão italiano e da Uefa. 

Nascido no bairro pobre de Villa Fiorito, na periferia de Buenos Aires, em 1960, se destacou desde cedo pela habilidade e a imparável canhota. Chegou ao futebol profissional pelo Argentinos Junior ainda na década de 70. 

Ainda no sub-20, foi campeão mundial pela Argentina. No Mundial de 78, disputado na Argentina, foi preterido pelo técnico Cesar Luis Menotti, que não o levou para a Copa. 

Logo despertou a atenção do Boca Juniors, para onde se transferiu em 1981 e sagrou-se campeão argentino.Primeiro Mundial e Barcelona

O futebol exuberante de Diego chamou a atenção do Barcelona, que o comprou antes do Mundial da Espanha. Na Copa, no entanto, sua participação foi marcada pela derrota para o Brasil de Zico, Falcão e Sócrates. Naquele jogo, Maradona saiu expulso. 

Foi no Barcelona, segundo seus principais biógrafos, que Maradona se envolveu com o vício que marcaria sua carreira: a cocaína. Não se destacou na Catalunha e acabou transferindo-se para o Napoli. 

O Rei De Nápoles

O sul pobre da Itália acolheu Diego como um filho e em Nápoles ele, em retribuição, abraçou a cidade. Na temporada 1986-1987 ele brilhou contra a poderosa Juventus, símbolo do norte rico e poderoso do país. Ele ainda venceria a Copa da Uefa e outro título italiano. 

Os títulos não dizem, no entanto, o que foi Maradona no Napoli. Gols, dribles e passes geniais, muitas vezes impossíveis, o tornaram quase uma religião na cidade. 

A Copa de 86

Jefferson Felipe 25 nov 2020 - 14:15m

0 Comentários

Deixe uma resposta


CNA (Grande)
Clim Center (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários
Império dos Camarões (Grande)
Gelar (Grande)
Instituto Olavo Bilac (Grande)
Acqua Pet Capibaribe (Grande)
JCL (Grande)
Ana Laura Personalizados (Grande)
Oficina dos Óculos (Grande)

Bruno Assistência (Grande)
Richard Martyns (Lateral)
Unicesumar EAD (Grande)
Instituto Olavo Bilac (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Novo Atacarejo (Grande)
Ana Laura Personalizados (Grande)
CNA (Grande)
Cabeça Gesso (Grande)
JCL (Grande)