Política PF prende prefeito e vice de cidade do Agreste de Pernambuco por suspeita de fraude em licitação

PF prende prefeito e vice de cidade do Agreste de Pernambuco por suspeita de fraude em licitação


As suspeitas são de organização criminosa, peculato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (10), a terceira fase da Operação Pescaria, para desarticular uma organização criminosa especializada no desvio de recursos públicos na Prefeitura de Agrestina, no Agreste de Pernambuco. O prefeito do município, Thiago Nunes (MDB), e o seu vice, José Pedro da Silva, conhecido como Zito da Barra (PSDB), foram presos na operação.

Thiago e Zito já tinham sido afastados dos cargos quando o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) cassou a chapa por abuso de poder político. No entanto, os gestores municipais voltaram para a prefeitura em julho passado, após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, treze mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais, além de mandados de afastamento de funções públicas dos ocupantes de cargos na administração municipal de Agrestina, mandados de afastamento de sigilos bancário e fiscal dos investigados, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região. As investigações contam com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU).

Licitações

Segundo a PF, as vantagens ilícitas eram obtidas por meio da contratação fraudulenta de empresa de “fachada”, com recursos federais, impedindo o caráter competitivo do processo licitatório e promovendo a execução dos contratos por meio de terceiros desqualificados.

A lavagem dos lucros ilícitos seria realizada por meio da utilização de conta bancária de titularidade de um “laranja” vinculado ao grupo. Ainda segundo a PF, esta conta bancária servia aos investigados para o recebimento de transferências bancárias e depósitos em espécie, sendo a maioria em valores baixos e sem a identificação. Também eram utilizados cheques assinados em branco, tudo com o propósito de dificultar a identificação da origem do dinheiro.

Os crimes investigados na atual fase da operação são de organização criminosa, peculato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. A ação contou com o emprego de 70 policiais federais, além de servidores da CGU.

Jefferson Felipe 10 set 2020 - 9:22m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Bezerra Poços (Grande)
Clécia Lima (Grande)
Império dos Camarões (Grande)
RC Tecidos (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários
Cetias (Grande)
Farma Fácil (Grande)
Altas Horas Outlet (Grande)
JCL (Grande)
Clim Center (Grande)

Vitta (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Best Net
JCL (Grande)
Alan Vidros (Grande)
Simone Joias (Grande)
Altas Horas Outlet (Grande)
Jasfac (Grande)
Unicesumar EAD (Grande)
Lis Bambini

VÍDEO EM DESTAQUE

Moda Center (Lateral)
Simone Joias (Lateral)
Immobilis (Lateral)
Dr. Leonardo Brito (Lateral)
RC Tecidos (Lateral)
Val Games (Lateral)
Clínica Vitta (Lateral)
JCL (Lateral)
Altas Horas Outlet (Lateral)
VRC College (Lateral)
Design Riscos (Lateral)
Autoescola Nossa Senhora das Graças (Lateral)
Real Tags e Etiquetas (Lateral)
Clim Center (Lateral)
Academia Saúde e Forma (Lateral)
House Club (Lateral)
BestNet (Lateral)
Império dos Camarões
Instituto Olavo Bilac (Lateral)
Sign Digital (Lateral)
Lis Bambini (Lateral)
Escolinha Geração XXI (Lateral)
HB Joias e Relógios (Lateral)
Alan Vidros (Lateral)
Unicesumar Santa Cruz (Lateral)
Tintas Quimilson (Lateral)
Polo da Moda de Campina Grande (Lateral)
Aplicativo