Destaques Pandemia: fator de agravamento da vulnerabilidade de crianças e adolescentes

Pandemia: fator de agravamento da vulnerabilidade de crianças e adolescentes


O Estatuto da Criança e do Adolescente completa 30 anos em meio a pandemia da Covid-19,criando amplos debates e colossais abismos de desigualdade social em meio a bombardeios de críticas para com um dos marcos da defesa dos direitos de crianças e adolescentes no Brasil. O ECA, sem sombra de dúvidas, é o principal mecanismo gerador de grandes avanços, ao longo destas três décadas, no combate a violência e no fortalecimento das políticas públicas.

A luta deve ser diária para efetivar as garantias fundamentais das crianças que são as mais afetadas, principalmente aquelas que estão em um contexto social totalmente violador e agora potencializado com os impactos da pandemia, condutora de mais obstáculos na meta da prioridade absoluta dos atendimentos através do sistema de proteção formado pelo estado, família e a sociedade.

A pandemia agravou ainda mais a invisibilidade e a indiferença em relação às crianças e aos adolescentes, afunilando a carga de preconceitos e o sentimento de desesperança. Uma infinidade de adolescentes experimenta o amargor da falta de oportunidades e, assim, atrofiam os seus potenciais e passam a sofrer com o pesadelo de uma utopia emparedada pela negação de sua existência, ferindo, deste modo, os seus direitos fundamentais.

É preciso que o estado, a sociedade e a família estejam atentos a toda forma de violação, pois,só esse olhar coletivo fará o estatuto cumprir a sua função primordial no desenvolvimento de crianças e adolescentes. Portanto, o compromisso é geral, não depende unicamente do destino, mas dos nossos investimentos no hoje que serão decisivos para o amanhã de tantas famílias.

Que os 30 anos do ECA sirva de exemplo para as mudanças necessárias e urgentes em nossa sociedade, levando em consideração os seus mais variados aspectos. Sejamos comprometidos com a vida de tantas crianças espalhadas em nossa cidade, as quais têm sido muitas vezes, vítimas da nossa própria indiferença.

Por fim, deixo o trecho da fala de Henrietta Fore, diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), que afirma de maneira muito coerente que “Não apenas crianças, adolescentes e jovens contraem a COVID-19, eles também estão entre as vítimas mais severamente afetadas. A menos que ajamos agora para lidar com os impactos da pandemia em meninas e meninos, os ecos da COVID-19 danificarão permanentemente nosso futuro”.

Marivaldo Andrade é historiador e detentor da coluna “Ponto a Ponto” no Blog do Bruno Muniz.

Bruno Muniz 13 jul 2020 - 18:41m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Império dos Camarões (Grande)
Cetias (Grande)
JCL (Grande)
RC Tecidos (Grande)
Clécia Lima (Grande)
Farma Fácil (Grande)
Clim Center (Grande)
Bezerra Poços (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários
Altas Horas Outlet (Grande)

Alan Vidros (Grande)
Unicesumar EAD (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Jasfac (Grande)
Real Tags e Etiquetas (Grande)
Altas Horas Outlet (Grande)
Cabeça Gesso (Grande)
Lis Bambini
Simone Joias (Grande)
Clécia Lima (Grande)

VÍDEO EM DESTAQUE

Academia Saúde e Forma (Lateral)
Dr. Leonardo Brito (Lateral)
Império dos Camarões
House Club (Lateral)
Tintas Quimilson (Lateral)
HB Joias e Relógios (Lateral)
JCL (Lateral)
Polo da Moda de Campina Grande (Lateral)
Altas Horas Outlet (Lateral)
Val Games (Lateral)
Simone Joias (Lateral)
Sign Digital (Lateral)
Instituto Olavo Bilac (Lateral)
Clim Center (Lateral)
Design Riscos (Lateral)
Lis Bambini (Lateral)
RC Tecidos (Lateral)
Autoescola Nossa Senhora das Graças (Lateral)
Moda Center (Lateral)
Escolinha Geração XXI (Lateral)
Alan Vidros (Lateral)
Unicesumar Santa Cruz (Lateral)
BestNet (Lateral)
Clínica Vitta (Lateral)
VRC College (Lateral)
Immobilis (Lateral)
Real Tags e Etiquetas (Lateral)
Aplicativo