Destaques Maconha incinerada em operações não serve para uso medicinal, diz PF

Maconha incinerada em operações não serve para uso medicinal, diz PF


Nos primeiros 45 dias de 2020, a Polícia Federal (PF) já incinerou cerca de 4,5 toneladas de maconha no Sertão de Pernambuco. A maior parte do material ilícito – 3,5 toneladas – foi destruído no dia 4 de fevereiro, durante uma ação perto da Fazenda Cachoeirinha, de Cabrobó. Nessa quinta-feira (13), uma nova operação da PF, em parceria com as polícias Civil e Militar, resultou na queima de 1,030 tonelada de maconha e de 1 quilo de haxixe – desta vez na Fazenda Pacheco, em Floresta. 

Foto: Divulgação

Por vezes, setores da sociedade chegam a questionar a queima de maconha apreendida, especialmente com o advento das medicações feitas à base da erva, a exemplo de óleos e pastas feitas para conter crises convulsivas. Mas a droga confiscada pelas forças de segurança não é apta para a fabricação de remédios. É o que conta o chefe de comunicação da PF no estado, Giovanni Santoro. 

“A maconha apreendida no Sertão pernambucano não tem capacidade para fins terapêuticos. Os traficantes geralmente fazem a colheita antes do tempo necessário para a planta estar plenamente desenvolvida, como se fosse uma fruta que não está madura. Para fazer o canabidiol, a erva tem que ser colhida em outro tempo”, explica.

Ainda que a maconha encontrada nas operações policiais estivesse em condições para uso medicinal, o tema precisa de regulamentação.

“É preciso que exista legislação específica, fiscalização adequada para que não haja desvio de finalidade”, acrescenta Giovanni.

Venda interna

A maconha plantada no sertão de Pernambuco não costuma ser encaminhada para outras localidades. De acordo com a PF, o conteúdo é comercializado apenas na Região Nordeste.

“E a distribuição se dá por via terrestre, seja carro, caminhão, moto. Eles costumam prensar a maconha em pacotes de 300, 400 quilos, para ter menos prejuízo caso seja apreendida numa fiscalização”, pontua Santoro.

As ações de erradicação ajudam a reprimir casos de violência, segundo o chefe de comunicação da PF.

“O tráfico traz junto outras ocorrências criminosas, como assaltos, roubos, furtos, homicídios. E quando ele não consegue ter a maconha nas mãos, essas situações diminuem”, conclui.

Fonte: Diário De Pernambuco 

Jefferson Felipe 14 fev 2020 - 20:00m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Dra. Palloma Santana (Grande)
Máscara Cristal (Grande)
Clim Center (Grande)
Cetias (Grande)
Império dos Camarões (Grande)
Sollaris Energy (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários
Brisanet (GIF)
RC Tecidos (Grande)

New Corte
Real Tags e Etiquetas (Grande)
Larissa Marques (Tô na Fono)
Altas Horas Outlet (Grande)
Brisanet (GIF)
Best Net
Arrumadinho (Grande)
Brisanet (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Lis Bambini
error: Content is protected !!