Destaques MPPE passa a acompanhar cumprimento de medidas alternativas firmadas em acordos de não persecução penal

MPPE passa a acompanhar cumprimento de medidas alternativas firmadas em acordos de não persecução penal


O Núcleo de Acordos de Não Persecução Penal (Nanpp) do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) passa, a partir de hoje, a abrigar a 14ª Central de Apoio às Medidas e Penas Alternativas (Ceapa). A unidade é vinculada à Central de Inquéritos da Capital, estando localizada na unidade ministerial da avenida Visconde de Suassuna, n.º 99, na Boa Vista.

A ação é fruto de articulação do MPPE junto ao Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), e tem o objetivo de fiscalizar e monitorar as penas e medidas alternativas aplicadas por meio dos acordos de não persecução penal firmados no âmbito ministerial.

Participaram da inauguração do espaço a ouvidora do MPPE, a promotora de Justiça Selma Barreto, que na ocasião representou o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros; o promotor de Justiça e coordenador da Central de Inquéritos da Capital, Edgar Braz; a titular da 29ª Promotoria de Justiça Criminal da Capital, Érica Lopes; a secretária-executiva de Justiça da SJDH, Mariana Pontual, representando o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico; a gerente de Penas Alternativas e Integração Social, Raquel Brandão; a gestora técnica de Penas Alternativas e Integração Social, Joanna Carvalho.

Pernambuco está sendo pioneiro na temática da não persecução penal com o lançamento, ainda em 2018, do primeiro Núcleo de Acordos de Não Persecução Penal (Nanpp) do País e, agora, com a primeira unidade a funcionar em articulação para o monitoramento dos acordos firmados pelo MPPE com os investigados.

“Com afirma o nosso procurador-geral, o acordo de não persecução penal é uma salutar medida processual que têm como principal objetivo proporcionar efetividade, proporcionar despenalização e celeridade na resposta do Estado. Gerando sensação de Justiça na vítima com a reparação dos danos causados pelo acordante ou acusado”, disse a promotora de Justiça e ouvidora do MPPE, Selma Barreto.

“Com o reforço do Ceapa temos mais um instrumento na resolução de conflitos na seara penal por meio do consenso penal. Estamos proporcionando uma resposta rápida e eficaz à sociedade, arregimentando recursos materiais e humanos para beneficiar diretamente a população com a distribuição desses recursos através do CEAPA para entidades da sociedade civil . Somos o único Ministério Público do Brasil a priorizar os acordos de não persecução penal e também somos os únicos a trabalharmos com esse fluxograma de analisar o perfil social e psicológico do autor da infração e fiscalizar o integral cumprimento do acordo “, disse o promotor de Justiça e coordenador da Central de Inquéritos da Capital, Edgar Braz

Desde a inauguração do Núcleo foram fechados 80 acordos de não persecução, com o recolhimento de R$ 77 mil em penas pecuniárias e 5 mil horas de serviços prestados à comunidade. Ainda segundo Edgar Braz, a expectativa é que até o final do ano sejam arrecadados R$ 150 mil em pecúnia e 10 mil horas de serviços à comunidade. Hoje, 35% dos processos da Central de Inquéritos da Capital são objetos de acordo, reduzindo a população carcerária e promovendo justiça célere para a sociedade pernambucana.

FUNCIONAMENTO – A Ceapa/MPPE irá acompanhar todo o processo de cumprimento da pena estipulada pelo acordo de não persecução, prestando atendimento social, realizando análise do perfil psicossocial e também procedendo o encaminham a órgãos ou instituições (escolas, creches, postos de saúde, entre outros) para o cumprimento da pena. Esta pode ser realizada por meio da prestação de serviços à comunidade ou ser cumprida com a prestação pecuniária, que é a doação ou depósito judicial.

A modalidade de pena alternativa é aplicada quando a condenação não ultrapassa quatro anos, e em casos de crimes sem violência ou grave ameaça, denominados crimes de menor potencial ofensivo, como por exemplo os delitos de trânsito (dirigir sob o efeito de álcool e sem habilitação, dar a direção para pessoa não habilitada), que  estão entre os mais comuns.

“É uma nova maneira de ver o cidadão, sem o olhar de punição e agindo preventivamente. Temos uma rede parceira, com a qual encaminhamos os cumpridores de penas alternativas e direcionamos recursos para promover o atendimento ao cidadão”, disse Raquel Brandão, gerente de Penas Alternativas e Integração Social da SJDH.

Bruno Muniz 05 jul 2019 - 13:46m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Brisanet (GIF)
Clim Center (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários
Dra. Palloma Santana (Grande)
Império dos Camarões (Grande)
Cetias (Grande)
Máscara Cristal (Grande)
RC Tecidos (Grande)
Sollaris Energy (Grande)

Unicesumar EAD
New Corte
Larissa Marques (Tô na Fono)
Real Tags e Etiquetas (Grande)
Brisanet (GIF)
Altas Horas Outlet (Grande)
Brisanet (Grande)
Cabeça Gesso (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Best Net
error: Content is protected !!