Destaques MPPE recomenda que se realize estudo para regularizar serviços de táxi e mototáxi e que se combata o exercício ilegal da profissão

MPPE recomenda que se realize estudo para regularizar serviços de táxi e mototáxi e que se combata o exercício ilegal da profissão


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou ao poder público de Passira que realize estudo para regularizar o serviço de táxis e mototáxis no município, além de realizar discussões com as categorias envolvidas. O estudo deve ser encaminhado, no prazo de três meses, para a Promotoria de Justiça local.

Segundo o promotor de Justiça Fabiano Morais Beltrão, não há regulamentação de atividades específicas dos profissionais, fazendo com que os taxistas e mototaxistas trabalhem clandestinamente, sem que haja a devida fiscalização pelos órgãos responsáveis. Outro ponto mencionado pelo promotor, no texto da recomendação, foi o fato de que Passira não possui convênio com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para aplicação de multas aos condutores.

“A Lei nº 685/2016 dispõe sobre a municipalização do trânsito e transporte de Passira e da Junta Administrativa de Recursos de Infração (Jari) e, ainda, determina que compete à Diretoria de Trânsito do município a integração com os órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito (SNT) para fins de autuação, arrecadação e compensação de multas impostas na área de sua competência”, observou o promotor de Justiça.

Para garantir que a lei saia do papel, o MPPE recomendou que a administração municipal tome todas as providências para a criação do Conselho Municipal de Trânsito, se ainda não houver, bem como da Jari. Passira também deve firmar convênio com o Detran no prazo de 120 dias. Além disso, a prefeita Renya Carla Medeiros da Silva deve providenciar a identificação e qualificação de todos os taxistas e mototaxistas irregulares, com o compartilhamento das informações cadastrais com a Polícia Civil, a fim de coibir a prática de delitos e facilitar eventuais investigações.

O poder público ainda deve adotar as medidas necessárias para a realização de inspeção para verificação dos equipamentos obrigatórios e de segurança no que se refere à categoria dos mototaxistas e taxistas; e promover a suspensão da permissão dos permissionários de táxi que não se encontram no efetivo exercício da atividade há mais de 30 dias, notificando-os para que voltem a prestar o serviço, sob pena de perda da licença de taxista. 

Já à Câmara Municipal de Vereadores o MPPE recomendou elaborar e regulamentar toda a legislação de trânsito faltante, com o apoio do Poder Executivo Municipal e com as devidas discussões com a população, inclusive efetivando a padronização das categorias de taxistas e mototaxistas.

Por fim, o MPPE recomendou ao delegado da Polícia Civil local que tomasse providências para combater o exercício ilegal da profissão de taxistas, procedendo à lavratura do procedimento policial em face de todos os condutores em desacordo com a Legislação de Trânsito ou que tenham incidido em outra capitulação penal sempre que forem apresentados pelos agentes de trânsito de Passira.

O não atendimento da recomendação ensejará a responsabilização dos agentes recomendados por eventual omissão, sujeitando-os às consequentes medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis.

Bruno Muniz 26 fev 2019 - 0:24m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Farma Fácil (Grande)
Império dos Camarões (Grande)
Altas Horas Outlet (Grande)
Clécia Lima (Grande)
RC Tecidos (Grande)
Bezerra Poços (Grande)
Cetias (Grande)
JCL (Grande)
Clim Center (Grande)
Immobilis Negócios Imobiliários

Altas Horas Outlet (Grande)
Simone Joias (Grande)
JCL (Grande)
Dr. Leonardo Brito
Cabeça Gesso (Grande)
Jasfac (Grande)
Vitta (Grande)
Polo da Moda Campina (Grande)
Real Tags e Etiquetas (Grande)
Alan Vidros (Grande)