Destaques Eleitor não pode ser preso a partir de hoje (02)

Eleitor não pode ser preso a partir de hoje (02)


O efeito de prisão somente pode ser aplicado em caso de flagrante delito ou cumprimento de sentença criminal em casos de crimes inafiançáveis.

Imagem meramente ilustrativa

A partir de hoje (2), cinco dias antes do primeiro turno, eleitores não podem ser presos ou detidos. A lei vale até 48 horas depois do fim do primeiro turno dessa eleição, ou seja, até as 17h de 9 de outubro. A exceção à lei se dá em casos de flagrante delito ou para cumprimento de sentença criminal em casos de crimes inafiançáveis.

A regra está prevista no artigo 236 do Código Eleitoral: “Nenhuma autoridade poderá, desde 5 (cinco) dias antes e até 48 (quarenta e oito) horas depois do encerramento da eleição, prender ou deter qualquer eleitor, salvo em flagrante delito ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto”.

O objetivo da lei é garantir o exercício do direito do voto, sem que eleitores sejam ameaçados. O parágrafo segundo diz que “Ocorrendo qualquer prisão o preso será imediatamente conduzido à presença do juiz competente que, se verificar a ilegalidade da detenção, a relaxará e promoverá a responsabilidade do coator.”

Bruno Muniz 02 out 2018 - 12:06m

0 Comentários

Deixe uma resposta


Farma Fácil (Grande)
Mamuska Pizza (Grande)
Oficina dos Óculos (Grande)
Iran Bikes (Grande)
Athom (Grande)
WG Aviamentos (Grande)
Floricultura Flor de Cheiro (Grande)
Novo Atacarejo (Grande)
Gelar Climatização (Grande)
Mateus Assistência (Grande)

Quero Sandálias (Grande)
Valloriza (Grande)
Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe
Mandacaru Açaíteria (Grande)
Sistemax (Grande)
WG Aviamentos (Grande)
Unicesumar EAD (Grande)
JCL (Grande)
ASCAP (Grande)
Bahia Ferragens (Grande)